Oiê

Ai mãe faz tempo que não lembro de você com dor. Hoje me flagrei disso, liguei para o paizinho na hora do almoço e depois pensei em você; mas não foi com aquela dor no peito e com o coração apertado de tristeza, foi com uma doçura, uma lembrança suave como uma brisa que passa perfumada perto da gente, sabe?
Justo você que sempre foi a rainha da delicadeza, a começar pelo seu tamanho, seus 1,42 bem distribuídos nos seus sempre 40 kg e no final 25...ai, mãe desculpa. Não vou mais falar nisso tá? Principalmente agora depois disso que te falei no começo da carta. Então, falando em delicadeza, sinto uma saudade meiga, suave, doce e não estou mais daquele jeito carregada de lágrimas, deprimida.
Também tenho tentado mudar muitas coisa em minha vida, dar uma arejada,  como dizem, buscar novas alternativas para mim, enquanto pessoa, buscar uma atividade mais rentável e que me dê prazer, ser mais suave comigo mesma ao invés de me torpediar de críticas e lamentações. Fazer mais e chorar menos. Deixar de ter pena de mim mesma, pois preciso seguir me frente, não é isso?
Até sair e deixar o Kenzo um pouco, sem me sentir mal, fazer minhas coisas, ir ao cabeleireiro, ao cinema. Você acredita mãe que fui ao cinema ontem? Aham,  fui ver Sex and the city, o filme daquele seriado que eu adoro sabe? Daquelas quatro moças que moram em Nova York e vivem mudando de namorado e de roupa? Olha mãe desde que o Kenzo nasceu que não vou ao cinema? Justo eu que ia ao cinema toda semana e tinha até cartão de fidelidade? 
Bom, mãe, sua oração deve ter chegado aqui embaixo e suavemente acalentou meu coração. Estou mais leve e talvez mais próxima de você!

3 comentários:

Yoyo disse...

Querida Kilza,
Mais uma vez, sua carta me emociona.Acabei de te conhecer (virtualmente)e já experimento um grande carinho por você.
É isso mesmo...Sua mãe(onde quer que ela esteja) vai quere vê-la bem, saindo, vivendo, cuidando das suas coisas, dos seus interesses e não apenas chorando a perda.
Ainda que a saudade seja forte, que em alguns dias ela chegue acompanhada de uma certa tristeza,procure estar bem pois qual mãe noo mundo iria querer ver sua amada filha infeliz?
Bjos no core.

Yoyo disse...

Desculpe-me pelo erro imperdoável de ter escrito seu nome de modo incorreto, Wilka
Bjo

Wilka disse...

Yoyo, suas palavras também me emocionaram, sou chorona de carteirinha! Mas entendi o que disse...Obrigada! Bom conhecer alguém assim! Super beijo!